quarta-feira, 20 de junho de 2012

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Estas são as Senhoras Maria e Joana, estimadas e altamente apreciadas vendedoras ambulantes de especiarias e ervas de cheiro, naturais de Trás os Montes e com licença válida até final do mês de Setembro para todos os Festivais de Verão de 2012.

Ventania


Parece que hoje é o dia mundial do Vento/Consciencialização da violência contra a pessoa idosa. Ontem aprendi que idoso é um termo muito recente uma vez que velho é o mais utilizado. Velho como depreciativo como já nada cá faz. Há pessoas que realmente fazem muito pouco mas essas são cada vez mais jovens. Há outras que levaram uma vida inteira a dar trabalho como se de “velhos” se tratassem. Ainda há aqueles que levam uma vida a tentar fazer algo e outros a tentar fugir destes. O que é certo é que de vento percebemos pouco, conseguimos identificar unicamente o desagradável que é. De envelhecer também nada entendemos a não ser o desagradável que é. Lutamos uma vida para não envelhecer e de repente ela chega como um vento que se levanta e damo-nos conta que estamos a envelhecer quando aqueles que eram mais velhos já não o parecem tanto e quando todos à nossa volta celebram menos anos do que nós. Triste é termos que nos consciencializar contra a violência, qualquer tipo de violência.
(por Celeste Silva)

segunda-feira, 4 de junho de 2012

Venho da Segurança Social.
À porta e à espera da abertura estavam umas quinze pessoas, que se entreolhavam enquanto descortinavam qual teria sido a ordem de chegada para retirarem a senha de atendimento.
Portas abertas e após algumas cotoveladas entre os presentes, reparo que enquanto catorze pessoas retiravam senhas para apoios, requerimentos e ajudas, só eu retirei uma senha para a tesouraria para ali largar uma avultada maquia que depressa passará para a secção do lado onde estavam catorze pessoas a olhar avidamente para mim.
Isto é o espelho real da nossa atual sociedade.

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Um Feliz Dia para todas as crianças.
Para aquelas que ainda temos dentro de nós, que alguns teimam em recusar que existem, as outras que persistem em mostrar-se ocultando o adulto que deveríamos mostrar diariamente e aquelas que o querem ser e não podem.